Dissertation Writing service Buy Dissertation Online essay writing service cheap essay writing A organização da rotina de estudos em tempos de pandemia | UNIVERSIDADE FEDERAL DO AGRESTE DE PERNAMBUCO
 

A organização da rotina de estudos em tempos de pandemia

Todos os dias realizamos variadas e diversas tarefas, as quais, por sempre estarem presentes no cotidiano, se tornam parte de nossa rotina, que constantemente pode mudar, se alterando por diversos fatores, como é o caso do momento atual em que vivemos, onde se cuidar tornou-se um hábito mais que imprescindível, urgente.

Muitas vezes, com a realização dessas atividades apenas por hábito, não percebe-se que elas fazem parte do dia a dia com uma grande recorrência, fazendo com que o planejamento da rotina seja um feito que não surge com a escrita, ou a fala, mas por estar tão presente, já se é pensada muito antes de se colocar algo em prática. No entanto, “a organização de horário não vale só para agora, mas a todo tempo, porque o importante é estar focado e estar alinhado no que vai fazer”, diz o professor Murilo Chavedar de Souza Araújo, Mestre em Matemática pela Universidade Federal da Paraíba, atualmente Professor Assistente na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (UFAPE), em Garanhuns e também, membro da COAA (Comissão de Orientação e Acompanhamento Acadêmico) do curso de Bacharelado em Ciência da Computação há mais de quatro anos, tendo encontrado na comissão a maior inspiração para falar sobre este tema. Em seu trabalho, no acompanhamento de alunos com altos índices de reprovação, observou que, muitas vezes, problemas no rendimento do aluno se dão por falta de uma organização da rotina.

Foto: Murilo Chavedar.

Atentar-se quanto às prioridades do cotidiano é algo indispensável. Em meio ao que se vivencia nos dias de hoje, a organização de horários, que é um elemento que se mostra muito relativa aos indivíduos - e isso se dá pelo fato de que são pessoas diferentes, com atuações diferentes, dentro de uma sociedade diversificada, é um fator que se mostra necessário para que metas sejam traçadas e atingidas. 
 
O Prof. Murilo também afirma que é preciso se questionar sobre as prioridades no dia a dia, sobre o que é mais importante: “o interesse em fazer é o principal recurso sobre isso - referente ao alcance de objetivos - (...). Às vezes, começar de pouquinho, seja mais interessante.”. É preciso observar os mecanismos para que haja uma produtividade, seja ela nos estudos, no trabalho ou em tarefas diárias: "(...) maneiras para fazer essa construção seriam, por exemplo, montar uma planilha de trabalho (...)", tendo em vista a realidade do indivíduo e como seus horários são distribuídos. “O que é importante pra gente, às vezes tá escondido, às vezes não é tão evidente,  a gente foca na tarefa do dia-a-dia, porque é o que se precisa dar conta, mas tem outras coisas que a importância só aparecem depois (...)”, ressalta.
 
É preciso haver um equilíbrio. O docente nos dá o exemplo de um número circense no qual os artistas equilibram pratos numa vareta. É preciso que os pratos estejam girando para que se mantenham equilibrados, porém existe um limite de quantos pratos o artista consegue equilibrar. Com este exemplo, nos recorda que é preciso olhar também para as limitações: não se sobrecarregar de atividades, mas gerenciá-las de acordo com as capacidades. Quando nos enchemos de tarefas, ficamos desordenados, correndo de um lado para o outro, o que, em vez de nos preencher, nos deixa ainda mais improdutivos. É preciso planejar com calma todas as ações para que nem fiquemos sobrecarregados e nem demasiadamente ociosos.
 
O prof. Murilo sugere a estratégia de autoconhecimento como contribuição para se ter uma noção do tempo investido em tarefas, alinhando as mesmas aos objetivos do indivíduo, uma compactuação entre os objetivos da pessoa com as ações que a mesma realiza. Sendo assim, a sinceridade consigo mesmo não pode ser deixada de lado, pois, para o foco, é necessário que se tenha autocontrole, visando suas metas. E além disso, um planejamento constante torna-se favorável para adaptações a novos horários, como é o caso do momento presente. 
 
Ele também realiza oficinas sobre este tema, executadas desde 2018 com atividades praticamente semestrais. Tendo em vista que as oficinas são oriundas das necessidades observadas nos alunos que frequentam o COAA. Assim tem como objetivo ajudar a todos, devido a isto o professor compartilha a apresentação de slides e texto-base utilizado nas oficinas, deixando ainda uma sugestão de planilhas que podem auxiliar no planejamento da rotina.
 
Antes de iniciar o preenchimento da planilha, pense em três objetivos que são importantes para você. Normalmente você vai esquecer itens como saúde. Atividades como exercício, trabalho, atividades urgentes sempre são lembradas,  mas não colocadas como meta ítens de grande relevância como saúde. Claro que se você coloca “exercício” você está contemplando o assunto, mas é importante aprender a colocar metas: Para atingir a saúde, quais artifícios utilizará? A partir daí, provavelmente você preencherá com exercício, boa alimentação, e etc.
 
É necessário também se ter atenção às mudanças bruscas: se a pessoa inicia repentinamente uma dieta, permanece fiel por um mês, dois meses, mas chega um período em que acaba voltando ao hábito antigo. É preciso haver então um processo de transição gradual de hábitos, para que o corpo se adeque aos poucos à nova realidade, utilizando, talvez, exercícios de recompensa: se inicio exercícios físicos, posso colocar uma playlist que eu goste de ouvir enquanto me exercito. Neste ponto, o assunto das redes sociais, que muitas vezes são utilizadas de maneira desregrada, aumentando a improdutividade: você pode intercalar momentos de descanso utilizando as redes sociais à atividade principal daquele momento, mas sempre exercitando o autocontrole.
 
Ao mesmo tempo, é preciso olhar para as aptidões, e para entender isso, pode-se exemplificar com matérias da faculdade: qual a matéria que você mais gosta? Qual a matéria que você mais estuda? Qual a matéria que você tem as melhores notas? Normalmente a resposta para as três perguntas é a mesma. Além disso, é preciso ter a coragem de dar o primeiro passo: se meu quarto está bagunçado, uma parte que é arrumada já deixa o quarto menos bagunçado. Muitas vezes, falta a coragem de dar o primeiro passo porque se espera um resultado rápido, urgente, quando na verdade, se estou iniciando uma nova atividade, preciso entender que não é da noite para o dia que passo a ter domínio sobre ela. Divida sua meta em tarefas pequenas, pois as menores tarefas são mais fáceis, e na junção de pequenas tarefas se alcança uma grande meta.
 
Comece a preencher com todas as tarefas que precisam ser realizadas durante a semana, mesmo que você ainda não tenha noção do momento em que você poderá cumpri-las. Fazendo um apanhado de todas as atividades que devem ser feitas, nota-se caso haja uma sobrecarga de atividades que gerem a necessidade de sobreposição de atividades, resultando em horários conflitantes, resultando na negligência de atividades. É preciso colocar tudo, inclusive tempos que são gastos com locomoção, que muitas vezes são esquecidas. A mesma coisa precisa ser feita com o planejamento mensal: preciso ir ao dentista uma vez por mês. Quando? Planejar! Além de sempre deixar momentos livres para descanso, mas também para realização de metas não-cumpridas no dia, semana, ou mês anterior. A mudança na proposta de organização se dá na planilha diária: em vez de preencher previamente, faça um registro, durante algumas semanas, sempre preenchendo detalhadamente o que você fez em cada horário. Analise dia por dia: todas as segundas-feiras, todas as terças… Encontre pontos de interseção entre atividades realizadas nestas semanas, para que a partir daí, se consolide uma atividade no horário e no dia. Com o comparativo entre plano (planilha semanal e mensal) e a ação (várias planilhas diárias de vários dias) é possível fazer eventuais ajustes de rotina para que os objetivos pessoais estejam alinhados com as ações diárias. Essa maneira de pensar a gestão de tempo, além da construção de uma rotina de estudos e trabalho também contribui para o autoconhecimento ao propor uma reflexão sobre prioridades pessoais.
 
É preciso notar que algumas tarefas são passíveis ou não de sobreposições: você pode lavar roupa e limpar a casa ao mesmo tempo, se eu tiver máquina de lavar. Mas, se eu preciso estudar, é preciso dedicar totalmente um tempo ao estudo. Confrontar sempre as realizações diárias com as semanais e mensais para traçar mudanças, tendo atenção para não sobrepor tarefas ou distribuí-las de maneira desigual, e assim, observando o desenvolvimento no controle do que precisa ser priorizado, pois quando se nota o que é necessário realizar, enxergando de fato o que o indivíduo está fazendo, e não o que ele pensa que está fazendo, é possível que a organização das ações do sujeito sejam alinhadas com seus objetivos.
 
É notável também, que em meio ao que o mundo está passando nesse momento, a ansiedade se torna um sentimento muito presente para um grande número de pessoas, e para evitar que a mesma seja recorrente, uma organização para o bem-estar do indivíduo é imprescindível, mesmo tendo a ciência de que produtividade muitas vezes não se torna sinônimo de bem-estar. É preciso, sempre, atender primeiramente as demandas que aquele indivíduo possui, seguindo seu próprio ritmo, para que a situação se torne mais confortável, construindo uma rotina que ajude com os objetivos, e com o tempo, construa hábitos, tendo cuidado com o número de metas, sendo justo para si mesmo.
 
Texto por: Daíza Borges, Iuri Araújo e Larissa Melo